\

Welcome to my blog :)

rss

domingo, 20 de dezembro de 2009

Cenas da vida moderna?


O fato que eu presenciei, hoje me fez pensar. Então resolvi contar o acontecido, colocando meus pensamentos junto.
Bom, estava eu hoje a noite, em frente de casa, após alguns perrengues de família... normalmente não ponho nem o nariz pra fora da janela, mas resolvi fazê-lo. Meu pai, que nem faz coisas estranhas, sentou no chão, de costas pra rua... enquanto eu fiquei escorada do lado' da casa... ouvi uns gritos e vi a mão dele fazendo sinal pra que eu fosse até ele. Fui e entendi o que estava acontecendo: uma vizinha, discutindo loucamente com o namorado.

Eu não me dou com ela, só o pai dela que me cumprimenta... o caso foi que ela dizia:
 - Tu tá pensando que tá lidando com uma cadela? Olha pra mim, eu tô falando!
E ele retrucava:
 - Tá, não faz barraco, não faz barraco!
E ela, mais furiosa:
 - Tu não pode tomar vergonha nessa cara? Me diz qual é a tua, guri! Ou a gente se acerta agora, ou a gente termina. Tu acha que eu vou ficar nisso até quando?

Ae eles nos viram ali, eu não tinha visto o que estava acontecendo, senão não tinha ido ali, mas eles se encabularam e baixaram a voz. Então, foram pro outro lado da rua, e ele falou algo mais baixo, e foi se afastando dela, e ela:

 - Tu não me deixa aqui falando sozinha, tu não tá falando com as tuas nêgas!

Mas não adiantou... ele foi, e ela ficou ali, um tempão, chorando sozinha. Meu pai ainda tentando conversar comigo, falando das luzinhas de Natal que não funcionavam, das formigas que estavam comendo não sei o que que ele plantou, e eu querendo pedir pra ele ficar quieto, por mais que eu não vá nada com a cara da guria, eu entendo muito bem o que ela estava sentindo, e a nossa presença ali, estava atrapalhando ainda mais. Depois e ter ficado um tempo ali, ela fungou um monte (IAUHEAOIUHE) e foi pra casa.
Logo após, o pai dispara:
 - Olha ae, oh: essas gurias... arrumam namorado cego, (ele supõe que ela tenha uns 17, 18 anos) pegam qualquer filhodaputa que encontram, depois ficam fazendo barraco pela rua, com o que eles aprontam...

Então eu comecei a pensar nisso... nessa coisa toda que são os namoros de hoje em dia.

Não que os de antigamente fossem sempre perfeitos, mas que eu acredito que eram mais intensos. Eram verdadeiros, tanto que, basta comparar quantos casais no tempo da nossa avó/mãe continuaram casados até 'que a morte os separe' com os de hoje, e essa ficação toda, que ninguém nunca sabe dizer a que nível o seu relacionamento está... isso quando um namora enquanto o outro está só ficando... (com outros também, talvez).
Eu vejo muitos guris fazendo esse tipo de coisa, e não estou dizendo que só os guris são culpados, também já vi gurias, até amigas minhas, dizendo: 'ah, fulano tá querendo ficar comigo, acho que vou aceitar...' e eu: 'Tá, mas tu não tá namorando?', e ela: 'Ah, Naty... to namorando, mas não to morta.'. Nunca achei isso certo, e falo que sou capaz de contar pra parte corneada, caso a conheça e tenha algum contato, alguma amizade... mas a questão é sobre os guris.

Eu vejo tanto guri desgraçado, que a guria faz de tudo por ele, o trata feito um homem... enquanto ele ainda é um gurizinho... ou uma mariquinha travestida de homem. Tu sai com o cara e ele não é capaz de pegar na tua mão, de te dar um beijo, de te abraçar. Ou tu convida ele pra sair, mas ele não pode... tem que ficar jogando alguns dos jogos de ebilóide dele, ou tem os amigos, o futebol, ou o que quer que seja, que vem em primeiro lugar. E quando pode, sempre dá um jeito de fazer com que o encontro seja uma droga. Tu diz o quanto o ama, o quanto gosta da compania dele, diz coisas bacanas, enfim... que qualquer pessoa gostaria de ouvir, e ele diz só um 'eu também' ou qualquer coisa do tipo... não diz nada, só te critica, te põe pra baixo.
Tu conversa, tenta dizer pra ele, o que está te incomodando, tentando melhorar a relação de vocês, e ele te ignora, te destrata, te humilha e ainda diz que não vai mudar.

Eu sei, tu vai me dizer: a solução é simples, ela larga dele, pois ele não a merece!
E eu pergunto: quantos casos assim tu já viu? Se fosse simples assim, pra ela, ela já teria feito isso. Mas não, se ela aguenta isso, é porque ela o ama e tem esperanças de que as coisas se ajeitem, de que ele cresça e tudo fique bem. Quem ama se deixa levar, se deixa enganar, se deixa derrubar... amor próprio? Ele não existe, ou melhor, existe, mas ela faz questão de deixa-lo bem guardadinho em algum lugar. Quando a gente ama, a gente erra. Erra e sabe que está errando, mas continua assim.

É como diz a música: [aposto que ninguém que possa ler isso aqui, conhece!]
Ninguém vai entender, porque te aceito assim, mas ficar sem você é bem pior pra mim, conselhos de amor, cansei de escutar, quem não se apaixonou, não pode me julgar. Dizer que estou errada...

A intenção desse post, não é questionar as razões da guria (nesse caso) em insistir numa relação com um mané, que não sabe tratar ela direito, não sabe nem o que é namorar, mas sim, as razões dele, de ser mané, e pior do que isso: investir em um relacionamento, sabendo que vai ser um mané. Eu vejo tanto, mas tanto guri mané, fazendo m* por ae, e eu me pergunto, o que leva um guri a agir assim. Isso sem contar os que tratam relativamente bem em alguns momentos, mas pisam feio na bola em outros...

O tamanho hoje foi dos bons, mas esse tipo de assunto, pra mim, sempre deu muito pano pra manga!

2 Ideias Novas:

Menos disse...

Ai, esse assunto dá tanto pano pra manga que se tu ficar a vida costurando sobre isso é capaz de parar numa camisa com mangas beeeem longas, de força.

Mas na minha opinião não tem motivo que justifique.

Natureza disse...

AHEOIHEIHEIAUHEIAUHEIUHEIAUHEAUIHE
Bom, muito bom mesmo!

Nem falei por motivos próprios, na verdade!
enfim...

Postar um comentário

Agora que tu leu toda essa baboseira, tem algo pra acrescentar, opinar ou comentar? Se não xingar, pode ficar a vontade!