\

Welcome to my blog :)

rss

domingo, 13 de março de 2011

Fim dos tempos

Sendo bem sincera... eu não sei se eu tenho mais raiva de mim ou das pessoas.
As pessoas fazem o que bem entendem contigo né? Mas só vai te afetar se tu deixar... e é aí que mora o problema.

Eu deixo algumas pessoas invadirem minha vida, pisarem em mim, deixo que elas façam o que querem, pelo maldito motivo de que, se eu não deixar, elas irão embora!
Isso é ridículo, não é? Eu também acho... é meio automático, quando eu vejo, lá estou eu, me deixando de lado, suportando mil coisas e sendo feita de idiota, com medo de falar alguma coisa.

De uns dias pra cá, eu tenho percebido situações assim e tô me sentindo uma idiota. Uma pessoa que visivelmente te trata mal por querer, é extremamente inconveniente, te ridiculariza sempre que pode, te faz de trouxa e ainda finge que gosta de ti. Te usa pra se aproximar das outras pessoas que já se cansaram dela e tu imbecil, vai lá ajudar...
Alguém que chega em ti, dizendo que tá com problemas, que tá mal e blá blá blá mas que não vai te contar (não é óbvio que tu vá querer saber, afinal foi ela que iniciou o assunto?). Que quer até o RG de cada um da tua família, quer saber de todos os teus passos e fica extremamente ofendida se tu diz que não quer falar algo, mas que tu não sabe jamais o que ela faz ou deixa de fazer.
Uma pessoa por quem tu mudou e deixou de lado inúmeras coisas, só pra agradar, pro bem de uma relação, da boa convivência... a prova disso é que hoje ela não tem o que reclamar de ti e inventa mil absurdos, pra fingir que tem razão... enquanto ela não deixou de fazer nada que tu odiasse, pelo contrário, arruma uma forma nova de infernizar sempre que pode.
Alguém que diz "tu é minha companheira" quando ninguém mais o aguenta, mas que não vai contigo nem até a esquina... nem que tu implore e busque no colo.

Aí vocês me dizem "se fosse eu, não aguentaria isso", ou "mas e por que tu sustenta algo assim, por que não manda pastar?".
Respondo: quando eu gosto de alguém, e defino gostar, qualquer sentimento relacionado, eu vou me desdobrar em mil pra agradar, na medida do meu possível, eu vou tentar fazer de cada minuto junto, algo agradável... mas no mínimo, vou tentar não ser desagradável. E vou tentar sustentar as coisas, até o fim.
E eu penso que enquanto a pessoa te procura, te liga, mantém algum tipo de contato, é porque ela gosta de ti. Eu nunca paro pra pensar que eu posso estar sendo só uma válvula de escape ou que estejam me usando pra chegar a outra pessoa... é, eu sou meio ingênua as vezes.
Tudo isso, por gostar da pessoa... é errado? Talvez.

É claro que o inferno não é completo. Quando a boa vontade impera, fica tudo muito perfeito. E é aí que tu percebe que essas coisas todas são forçadas, que a pessoa pode ser muito agradável e que ela não é por algum motivo que tu não entende. Eu não consigo entender como alguém acorda e pensa: "vou incomodar a Natu um pouco hoje... é tão divertido!". Sério, pra que? Se eu fosse uma pedra no sapato, ok. Mas tudo o que eu faço é tentar ajudar, tentar agradar... porra, vai tomar no cu, né?

Na boa... sabe quando tu chega no teu limite?
Eu cheguei no meu, por mais que tu goste de alguém, se ela não tem respeito e consideração por ti, não dá... não há nervos, coração e paciência que aguente.
Eu gosto das pessoas, eu tento, do meu jeito demonstrar isso, eu tento agradar, eu relevo muita coisa... mas não dá pra ficar suportando coisas a vida toda, e coisas que são de graça... ofensas, piadas de mau gosto, deboche, falta de respeito... sem eu ter feito nada de mal.

Depois de tudo que eu vi, ouvi, descobri... não faz mais sentido nada disso.
Sabe quando algo chega ao fim e a vida esfrega isso na tua cara?
Pois é, a minha tá esfolada já.
E eu já disse isso tudo outras vezes... pra variar.

2 Ideias Novas:

Viviane David disse...

Amiga FDP é FDP

Natureza disse...

Filho da puta: sempre tem um na tua cola

Postar um comentário

Agora que tu leu toda essa baboseira, tem algo pra acrescentar, opinar ou comentar? Se não xingar, pode ficar a vontade!